Páginas

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Prosa e poesia

Prosa não consigo mais.
É como um pássaro que acena,
E vai embora,
Deixando saudades imensas.

Deixou um filhote,
Um filhote que sabe voar,
Mas não lembra.
Um filhote estático no galho.

O pequeno olha ao redor.
Vê seus irmãos alçarem vôos.
Dos mais lindos aos fracassados
Mas são vôos, são prosas.

Agora sei que prosa não é vôo
É contemplação, é assovio.
Meu pequeno voa por dentro,
Na mais linda poesia.

H.Reis

3 comentários:

  1. gente..quanta ideia..me da um pouco..

    otimo moreninhaaa!!

    beijos cordiais..

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkk, sei que tem muitas, Laís!
    Brigada, viu?
    Beijos

    ResponderExcluir