Páginas

sábado, 16 de abril de 2011

Ode à ''Não Ida à España''

Ó, España querida, não me verás por agora,
Pois te perdi pra um poema.


Ó, Reis Católicos, não visitarei seus túmulos ou mausoléus nesses tempos,
Perdi-os pra um poema.


Ó , Plaza España, não respirarei teu ar da manhã ou da tarde
E nem a noite me acolherá, pois a perdi pra um poema.


''Mis desayunos''* serão por aqui mesmo.
''Galletas?''** Nem pensar! Foram comidas por um outro poema.


Granada e sua Alhambra imortal não me verão entrar por suas portas triunfais.
Pois um poema entrou antes e fechou-as pra mim.


Fiquei do lado de fora, do lado de fora de mim, do lado de fora de España.
España que agora tenho nas mãos, España que agora pra mim é esse poema.

E só.


H.Reis



*Mis desayunos : Meus desjejuns
** Galletas : Biscoitos

2 comentários:

  1. Olha a revolta da coleguinha.

    Relaxa, quando você for rica você vai pra lá ;)

    ResponderExcluir